02 outubro 2006

O VERDADEIRO "RISCO-BRASIL"


Um segundo mandato da "quadrilha" daria aos seus integrantes o domínio total sobre a sociedade. Emergiria com maior clareza a ditadura PETISTA, porque prevaleceria de forma ainda mais acentuada do que agora, o Poder Executivo.


O Congresso não precisaria ser fechado, conforme a tradição ditatorial, mas continuaria sendo anulado pela compra de parlamentares. Mensaleiros, sanguessugas, maleiros, cuequeiros, e quem sabe outras espécies daninhas à democracia, votariam, conforme costume, sob a batuta do "guerrilheiro" José Dirceu, devidamente reabilitado e reconduzido.


A Justiça continuaria submissa à vontade do "dono", expressa no Supremo Tribunal Federal convenientemente "nomeado" e na "submissão canina" das ações da Polícia Federal. Aos companheiros tudo continuaria permitido.
Aos inimigos, a lei, os processos, as prisões e até algumas ilegalidades - como a "quebra de sigilo bancário" e outras, digamos, menos ortodoxas.

Parte da Igreja, prudentemente calada, continuaria a apoiar a inoperância dos programas sociais, o descumprimento das promessas feitas. Afinal, o PT não deixa de ser o filho dileto da Eclésia e ela sempre o abençoará.

Tarso Genro, qual um "Grão-Vizir", consumaria a união dos partidos em torno do "soberano", o que equivaleria a jogar uma pá de cal na bem comportada oposição, e, se não existe oposição, tampouco prevalece a democracia, que continuaria a existir apenas na farsa das "oposições responsáveis", quer dizer, dóceis, amestradas e coniventes com o poder centralizado e ditatorial.

Entidades de classe, que no passado tiveram ação política marcante, continuariam omissas, e recebendo as benesses do Executivo, obviamente. E a imprensa, comprada ou amordaçada, seria um pálido simulacro do Quarto Poder.

A vitória da ignorância sobre a razão, da indiferença sobre a consciência, mostraria que ao invés de cultura cívica nosso país possui uma cultura cínica, pois a maioria dos eleitores chancelaria com seu voto a depravação da política. Tal indiferença com relação à imoralidade pública refletiria o que somos enquanto nação - súditos mesquinhos e miseráveis, e individualmente - ignorantes e corruptos.

Ao que tudo indica, o crescimento econômico continuaria pífio sob o governo daquele que muitas vezes prometeu o "espetáculo do crescimento", mas jogou o Brasil na última fila, inclusive, dos países latino-americanos; mas o "Estado-mamute" tornar-se-ia um senhor obeso e indecente.

Por fim, haveria o maior engodo da história: o povo votaria no "pai Lula", mas seria governado pelo "tutor Hugo Chavez", o todo-poderoso comandante das esquerdas latino-americanas. Iríamos nos transformar de vez numa monumental "Republiqueta de Bananas" - "o Circo do Retirante PiTóquio" segundo Almendra, com direito a expropriações por parte de Evo Morales e das chacotas de Kirchner, que parece ver no "colega" Luiz Inácio uma piada viva. Sem falar na China que vem se esbaldando de rir conosco, depois que o governo do PT abriu as portas a essa grande "nação amiga".

Se as pessoas de bem que existem no Brasil forem em número insuficiente neste segundo turno, prevalecerá mais uma vez nessa eleição a cara do "nosso" Macunaíma Gump, "identificada com a cara do povo" - como ele mesmo disse. Mas o correto seria afirmar que os menos favorecidos que têm a cara desse presidente, o são na medida em que se revestem de escravos sociais dependentes das esmolas-oficiais e ainda associados ao que há de mais negativo e perverso no seio da população.

Num segundo mandato a propaganda enganosa continuaria a cumprir seu objetivo de anestesiar qualquer manifestação de clarividência popular e o PT seguiria com seu plano de manutenção do poder, que é no mínimo de trinta anos. Afinal, como abrir mão das delícias da corte, das viagens maravilhosas, do luxo que desfruta o pobre operário, a "primeira inútil", sua família, seus companheiros? Não dá para perder tanto.


Dotado de "coração magnânimo", com sua "bondade infinita" e, por que não, "divina", o reeleito perdoaria seus companheiros mais íntimos, os quais chamou de "traidores", "imbecis", "insanos" e "aloprados"; rompantes que não passaram de mais uma pantomima para convencer os otários de que ele nada sabe, nada vê e que não tem nada a ver com seu partido, e nem com seu governo. Uma vez reunida e reorganizada, a quadrilha jamais seria vencida.


O "nosso" Forrest Molusco, o "Mago da Política Prostituída", então, não teria que modificar seu modo peculiar de governar, e continuaria fazendo churrascos com seu "homem-chuveiro", jogando partidas de futebol na Granja do Torto e viajando no confortável e luxuoso aerolula.
Talvez, para movimentar mais o cenário político, faria algumas "reformas": quem sabe seu partido não pediria o impeachment retroativo de FHC. Ato contínuo, ele mesmo libertaria o seu "demônio interior" anulando o Congresso, para logo a seguir desferir o "golpe fatal", convocando a "Assembléia Constituinte Revisora" , como fez seu "companheiro" Chavez, instituindo o Absolutismo do Obscurantismo "nestepaizzzzz".

7 Comments:

Anonymous blogdopatrick said...

Então Alexandre, meu velho, teremos oportunidade de ver a situação mudar, ou não. A oportunidade foi dada.

Abs

Patrick

7:32 PM  
Blogger Nat said...

Alexandre,

Vou mais longe. O perigo do petismo-lulismo ainda estará presente mesmo se Alckmin ganhar as eleições. A fome de golpe popular crescerá. Afinal, para recolocar o Brasil no rumo, reformas impopulares terão necessariamente que ser realizadas... e o que fará o petismo-lulismo nesse caso? Mobilizará seus "movimentos sociais"! Tempos deveras perigosos estes!!!

Bjs

9:36 PM  
Blogger Pata said...

É! Graças ao Bob esse projeto foi abortado na hora certa.
Se não tivessem desmascarado a quadrilha ninguém iria segurar esse rojão.

10:49 PM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Texto ótimo como sempre! Só você mesmo, cara!
No mais estou estarrecido com a eleição de Maluf, Clodovil, Palocci e outras milongas. É muito difícil, viu! A gente perde o tesão...

5:29 PM  
Blogger Santa said...

É o máximo "Estado-mamute"!. Alexandre, estou colecionando os termos novos em teus textos. Erudição petista (rsss). Maravilha. Bjs

5:34 PM  
Blogger Santa said...

Só pra ilustrar meu encatamento (rss)

"Estado-mamute"
"submissão canina"
"Grão-Vizir"
"o Circo do Retirante PiTóquio"
"Macunaíma Gump"
a"primeira inútil"
"coração magnânimo"
"Forrest Molusco"
"homem-chuveiro"
"demônio interior”
"Assembléia Constituinte Revisora"

5:42 PM  
Anonymous Star said...

Alexandre,

O Brasil precisa voltar a ser o Brasil dos brasileiros e não o Brasil de Lula, dos camaradas de Lula, dos amigos de Lula, dos filhos de Lula.

O Brasil é muito maior que Lula e PT, o povo brasileiro já mostrou isso no primeiro turno.

Só para comparar, FHC foi reeleito no primeiro turno contra Lula que já havia disputado vária eleições e Lula não conseguiu vencer o "picolé de chuchú" que ninguém conhecia.

Ainda temos que cobrar a história do dinheiro.

Há quem aposte que, nessas quatro próximas semanas, for revelado o nome do dono da conta bancária no Exterior que teria propiciado o desembarque da dinheirama do Dossiê Freud no país, a candidatura de Lula, literalmente, implode.
http://www.gibaum.com.br/

12:38 AM  

Postar um comentário

Links para este post:

Criar um link

<< Home