08 novembro 2007

A VITIMIZAÇÃO POLÍTICA DO ELEITOR BRASILEIRO

O povo brasileiro parece gostar mesmo de uma fantasia.
Parece que ainda não abandonou a idéia do “salvador da pátria”, que irá resgatar as vítimas do “perverso sistema” e colocar o país na trajetória do progresso. Ainda não entenderam que esta visão paternalista e centralizadora é que é o grande problema. Não atinaram ainda que deveriam lutar para a drástica redução do tamanho do Estado, e não para colocar um “santo clarividente” sob a espada de Dâmocles. O modelo está errado.


O poder corrompe.


“O poder absoluto corrompe absolutamente”.


Há que se reduzir o poder, independente da pessoa que chegue ao “trono”. Mas o desespero, aliado à ignorância, faz uma maioria ignara eleger aqueles que pregam mais e mais governo, como se o Estado fosse uma verdadeira panacéia.


Como se existisse uma “cornucópia estatal” que produzisse diuturnamente “riquezas para todos”, promovendo o falacioso discurso da esquerda retrógrada – “a justiça social”.


Nada mais falso.


Não parecem suficientes as infindáveis lições de que o excesso de governo causa miséria e escravidão. As vítimas parecem não se importar com o fato de que o nacional-populismo fracassou em todos os países onde foi adotado. Modelos que concentram no Estado o poder de “cura para os males do povo”, normalmente criados pelo próprio Estado, geraram apenas desgraças.



Governantes “salvadores da pátria” prometem acabar com a fome quando o problema maior é o da obesidade, gerar empregos através do artifício dos cargos comissionados e triplicando o número de ministérios para o apadrinhamento de correligionários e parentes, lançam factóides a todo momento para encobrir sua incompetência, por exemplo dizendo que o “sistema de saúde é quase perfeito” quando, ao contrário, está falido.
Ou então afirmando, peremptoriamente, que "a crise do gás é um probleminho...", quando na verdade é um fato, e da maior gravidade.


Parece até slogan das Organizações Tabajara: "seus problemas acabaram..."



Governos dirigistas, fortemente interventores na economia, vorazes devoradores de impostos para a manutenção de sua “pança paquidérmica”, que pregam a “justiça social” acima de tudo, que apelam para o ufanismo patriótico, que prometem mais e mais sem focar os custos, sempre representaram a causa primeira do atraso de uma nação.


A América Latina é a prova incontestável disso. Mas como temos Hugo Chávez, Evo Morales, Nestor Kirchner e Lula no poder, parece que alguns povos jamais aprendem.


Enfim, quando alguém ignora o caráter autoritário do PT, o enorme esquema de corrupção arquitetado pelo partido, seu populismo demagógico, suas péssimas amizades, sua ideologia fracassada e sua ridícula representatividade estampada na figura de um autêntico “boneco de ventríloquo”, fazendo vista grossa a todas as atrocidades por ele cometidas, em troca de algum interesse imediato qualquer, merece ser culpado também pelo rumo do país.
Afinal, está dando uma carta branca nas mãos de políticos comprovadamente corruptos e incompetentes, vendendo a alma ao diabo em troca de migalhas.
Está estendendo o pescoço voluntariamente à guilhotina.


Focado apenas no lucro momentâneo, vende a corda que será usada para seu próprio enforcamento.
Isto tanto é verdadeiro que já existe uma ciência que estuda tal fenômeno – a VITIMOLOGIA.
Eis o que ocorre quando o caminho da servidão conta com a aquiescência das vítimas.

2 Comments:

Blogger S.O.S. M I S É R I A said...

Nossa, fiquei abismada com sua comparação fome x obesidade e verdade que me chocou. A obesidade está aumentando no mundo, isto é verdade, mas antes dele aexistir como doença, se é que se pode dizer assim, a fome já matava um terço da África, e Brasil não fica por baixo, e tantos outros países, mesmo os ricos, tem medigos e pessoas que morrem de frio e de fome.
Ufa!
Alda

7:54 PM  
Blogger Star said...

Alexandre, você acertou em cheio, vamos ver até quando as vítimas vão agüentar...

Bom fim de semana,

beijo

3:28 AM  

Postar um comentário

Links para este post:

Criar um link

<< Home