21 agosto 2006

A volta do "Monstro do Mesmo"

-Quem é você? Gritou o presidente Lula.


- Eu sou o Mesmo... , respondeu a voz.


No fundo do corredor do Palácio da Alvorada, uma massa nebulosa girava sobre si mesma, como um fantasma bailarino.
D. Marisa já dormia, Brasília também.

- Já é tarde da noite, não há ninguém aqui... Quem é você? Gritou o presidente para a nuvem.

- O Mesmo, o Mesmo! Respondeu o fantasma.
Lula pensou: "É um pesadelo..."
A voz adivinhou:

- Não sou um sonho. Sempre estive aqui, esperando. Eu estive aqui com Collor,estive com FHC. Agora com você... Eu volto sempre. Eu sou o Mesmo...

O fantasma tinha vagos contornos humanos, rostos mutantes, olhos, bigodes em meio à névoa.

- Que você quer de mim? Balbuciou Lula, com os gelinhos do uísque tilintando em seu copo.

- Eu vim aqui lhe agradecer, pois você já chegou onde eu quero: no mesmo, no mesmo... Quero te saudar porque já tive medo de você... como uma Regina Duarte do além... Eu achei que seu governo ia mudar o País, me senti ameaçado, acreditei que havia um resíduo ético nos petistas e que você detinha um grão de romantismo idealista. Achei que iam aprofundar as mudanças democráticas, fiquei com medo que você aperfeiçoasse o Plano Real, fizesse reformas no Estado, cortasse despesas etc... E aí, eu tremi de medo dentro de meu pântano; saí de meu torpor, farejei o ar, inquieto, mas agora estou calmo. Graças a Deus, você só teve a esperteza inercial de manter a política do FHC como Palocci, mas não mexeu em nada, não mudou nada e foi organizando esta zorra, esta bela congestão institucional que temos agora, que coroa minha volta triunfal. Eu estava dormindo há muito tempo no bolso dojaquetão do Sarney e, agora, saí aliviado.

- Mas eu sou o povo no poder, eu sou o novo! Retrucou Lula.

- Que "novo", presidente... (e a massa girava com um ruído de gargalhadas) que novo... você... perdão.. o senhor é um alpinista social, o único pobre que subiu na vida nesse governo, osenhor era a esperança popular e agora é só umsímbolo vazio... Quando eu vi a fome dos petistas invadindo o Estado como uma porcada magra no batatal, quando eu vi que não havia programa, Deus seja louvado, que vocês se perdiam em discussões vazias e não sabiam administrar nada... eu sosseguei...

- Mas, eu vou ser reeleito...

- Tomara, presidente... aliás, voto no senhor... E sua reeleição seráuma bela vitória do atraso nacional, apoiado por massas que não entendem o que o senhor significa e pelos intelectuais que não conseguem selivrar de seu feitiço...

- Por que eles me amam tanto?

- Eles são fascinados por sua sagrada ignorância, sua carinha barbuda, porque você aplaca suas más consciências, porque você é um conceito que eles nãoconseguem superar: um vago populismo estatista com tintas socialistas...O senhor é a tara dos intelectuais... E eu só tremi de novo quandosurgiu o Roberto Jefferson. Aí, eu entrei em pânico dentro do jaquetão do Sarney: "Pronto! O povo vai descobrir a verdade! E eu, o atraso endêmico, eu, o Mesmo, serei desmascarado!"... Mas, você foi perfeito...Aliás, que grande ator você é, presidente!... Os mensalões lhe batiam como insetos, os sanguessugas mamavam, as cuecas inchavam e você conseguiu segurar tudo no mais grandioso cinismo, como um Ademar, um Quércia... Juro: eu fiquei com orgulho, quando você declarou que "nãosabia de nada..."

- Ah... bondade sua...

- Claro que não é. Foi só você que fez meu jogo... Quando pintou a verdade do Jefferson, o sistema todo se agitou e me defendeu, a paralisia dos tribunais oportunistas me defendeu, a sordidez dos deputados me defendeu absolvendo criminosos, osvotos secretos corporativos, os depoimentos cínicos, o Severino, todos me defenderam contra o mundo que Jefferson revelou e eu respirei de novo, vendo que tudo continuaria como sempre foi... E, hoje temos um País deprimido e impotente para reagir, assistindo ao maravilhoso festival de mentiras, onde nada de bom acontece nem consola; em suma, um País perfeito para mim, pegajoso, inviável para sempre... Vocês conseguiram paralisar o progresso que se anunciava: a moralização política, um funcionamento republicano e democrático. Você revigorou opersonalismo populista de um getulismo tardio que vem aí... Parabéns...

- No segundo mandato... eu...

- Vai fazer o que no segundo mandato? Contrariar o PMDB, o Calheiros, o Sarney?... Ora... presidente... V.Exa.não tem vocação para o martírio...

- Você...

- O senhor é jeitoso, sabe nadar no pântano, ao contrário do Collor que "queria" ser banido. Aliás, seu governo e o do Collor são parecidos; só que você substituiu um PC do Collor por uma matilha de PCs. O senhor é umCollor do povão e, por isso, ninguém tem coragem de lhe impichar; e olhaque o Collor saiu por muito menos, hein, na "boa", na moral, presidente,desculpe...

- Como assim?

- Assim como os comunas acham que os fins justificam os meios, o senhor pensa: "Eu justifico os meios!" O senhor quer ser eleito acima dos poderes e gostaria de ser um Chávez cordial, um Chávez aceito pelos bancos, pelo Bush... O senhor quer o êxtase da aceitação total e vale tudo para isso. O senhor vai substituir o atraso tradicional por um atraso travestido de novo, um programa que será umvago ensopadinho de slogans populistas com um estatismo inchado e falido. E no, seu segundo governo, vai crescer o quisto sebáceo do empreguismo, do aparelhamento do "Estado-mamãe", com os 40 mil cargos dos petistas que jamais largarão essa boca... Você é meu herói!...

- E você? Quem é você?

- Eu sou o orgulho de não ter sentimentos, sou a inércia primitiva do Brasil. Tenho a grandeza da vista curta, a beleza dos interesses mesquinhos, tenho a sabedoria dos porcos e das toupeiras.
Eu sou aquilo sem nome que transforma tudo que é público em privado.
Eu não sou uma mosca na sopa do País, não.
Eu sou a sopa brasileira.

Dito isso, a "coisa" parou de girar e sumiu como um pequeno tornado no fundo do Alvorada.

Lula tomou um "golão", foi dormir e sonhou, sorridente, com o Bush e o Chàvez, que gostavam tanto dele...

by A. Jabor

14 Comments:

Anonymous Saramar said...

Alexandre, boa noite.

O Jabor superou-se neste artigo.
O Mesmo, sempre esse fantasma a perseguir os brasileiros, há 500 anos.
Uma beleza de post.
Obrigada.
beijos

10:54 PM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Jabor como sempre fantástico! Essa do "Por que eles gostam tanto de mim?" foi ótima. E Amigo, sei que está tudo bem com você, gosto de fazer um pouco de hora, só isso!
No mais, Deus te crie...

1:05 AM  
Blogger Star said...

Alexandre,

Pior que é...

Veja o nosso destino:
http://www.brunazo.eng.br/voto-e/textos/guarulhos04.pdf

As urnas eletrônicas foram fraudadas em Guarulhos 2004 comprovadamente, segundo relatório da auditoria.

Qualquer que seja a vontade do eleitor, Lulla vencerá no primeiro turno...

Beijo

1:49 AM  
Blogger LCMarques said...

Alexandre, que tal lembrar os escandalos, atualizados, que foram alardeados pela PF e demais maracutaias para que possamos divulgar via blog e e-mails.
Não podemos deixar cair no esquecimento e também não deixar que a confusão de informações impere.
Meu blog é mais um happy virtual, o seu é o senso crítico com conteúdo.
Quero fazer a minha parte em divulgar a consciencia crítica e preciso da sua ajuda.
Amplexos

9:21 AM  
Blogger Alexandre, The Great said...

Luiz Carlos.

Tudo bem, posso refazer a "colcha de retalhos" dos escândalos.
Confesso ser um trabalho "hercúleo", pois a cada dia temos um novo escândalo para acrescentar, mas eu já a refiz umas tres vezes.

Para começar, que tal utilizar este texto do Jabor?

Um abraço,

9:32 AM  
Blogger José Alberto Mostardinha said...

Viva Alexandre:

O conteúdo do argumento tem que ser compreendido através do conhecimento prévio do posicionamento político do autor.

O meu situa-se no centro-esquerda, sou social-democrata de influência nórdica.
Em Portugal o único partido que defende estes princípios é o Partido Socialista, membro da Internacional Socialista.

... e o do Alexandre?

Um abraço,

1:30 PM  
Blogger Angela said...

Alexandre,

Jabor sempre pertinente é um dos poucos jornalistas que usa seu talento a serviço da democracia, já a maioria da grande mídia esta a serviço da ditadura do Mulla.

Um beijo

1:50 PM  
Blogger Santa said...

Excelente o artigo do Jabor! Por outra, estamos praticamente perdidos. O que fazer Alexandre?

8:34 PM  
Anonymous Vera said...

Arnaldo Jabor, é ímpar... rsrs SOS ALEXANDRE: veja como HH é perigosíssima http://www.acaopopularsocialista.org.br/boletim/boletim_%2022.htm Eu quero a minha mãe! :-) Bjs

1:41 AM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Vô pescá hoje lá no Ri Paropeba. Pegá uns mandi e tomá uma pinguinha sentada na bêra do barranco. Cê num qué i não? Vamo eu, ocê, o Zé, o Marques, o Sobesta. Aí pro trem ficá bão e a conversa esquentá a gente chama as minina, nossas amiga. Topas?
abraço, meu amigo!

10:21 AM  
Anonymous Anônimo said...

Esse tal de ROCEIRO bem que escorrega nos substantivos, ou sera que sentado, ele ou ela se identifica mais no feminino.

Aurelio B.

1:27 AM  
Blogger Alexandre, The Great said...

Ô "anônimo"... enquanto não mostrares a tua cara, também posso considerá-lo(a) homem, mulher, veado ou lésbica. O Kafé eu conheço, já vc é um "ser andrógino", insignificante e inexistente em gênero e grau.

Vá procurar a sua turma lá em www.cuba.cu.

2:21 PM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Esse babaquinha aí, primeiro é um covarde já que é anônimo, e segundo que é Aurélio B. deve ser de bichinha e terceiro, obrigado amigo, você é 10. Não ligo pra esses boçais, não!

3:30 PM  
Blogger Francieli Rebelatto said...

Grande jabor, sempre tão sutil em suas críticas, heheheh... ótima postagem e muito bom teu blog...volto mais vezes...beijos

8:08 PM  

Postar um comentário

Links para este post:

Criar um link

<< Home