04 dezembro 2006

LISTA DE "DEPENDENTES" DO IRPF



Todo ano é a mesma coisa; na "hora do Leão" surge a dúvida: "quem e quais" são os meus "dependentes" na hora de preencher a "Declaração de Ajuste Anual"?

Eu, assim como muitos brasileiros que vivem de salário, também estou muito preocupado com a "quantidade" de "dependentes" !


Você já atualizou a sua lista de dependentes do IR ?

Não ?

Então pode copiar da minha.

Esqueci de um "monte" deles... você pode lembrar e acrescentar q.s.p.

DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - PESSOA FÍSICA
RELAÇÃO OFICIAL DOS MEUS DEPENDENTES:

01) Governo Federal - IR, CPMF, CIDE etc.;

02) Governo Estadual - IPVA, ICMS etc.;

03) Governo Municipal - IPTU, TRSD, ISS, etc.;

04) INSS - Contribuição previdenciária;

05) Conselho Regional Profissional - Contribuição anual;

06) Sindicato da Categoria Profissional - Contribuição anual;

07) DMAE/COMLURB - Contas de água e esgoto (consumo mínimo) e taxa de coleta de lixo;

08) CEEE/CEG - Contas de luz e gás (consumo mínimo);

09) Telefonica/BrasilTelecom/TIM/ CLARO /VIVO celular (exceto OI-Telemar, por favor!)- Assinatura mensal;

10) Plano de Saúde - Mensalidade;

11) Detran - Licenciamento anual de veículo, transferência e renovação de carteira de habilitação;

12) Contran - Taxa de inspeção veicular;

13) IRB - Seguro automotor obrigatório;

14) Concessionárias de estradas de rodagem - Pedágios;

15) CET/DSV/ESTAR - Talões de estacionamento;

16) Terminais aeroviários, portuários e rodoviários - Taxa de embarque, de uso dos sanitários, de bagagem e de estacionamento ;

17) Instituições financeiras - Taxas de administração e manutenção de contas correntes, renovação anual de cartões de crédito, requisição de talões de cheque, cheque de valor inferior, etc.;

18) Tomadores de conta de veículos, guardadores de lugar em filas, cambistas diversos, flanelinhas e vendedores de semáforos - caixinha, cafezinho etc.;

19) Carteiro, lixeiro, varredor de rua, leitores de relógios, frentistas e entregadores de contas - Páscoa, Natal, Ano Novo etc. (estes estarão excluídos da minha "lista" pois não receberão mais suas "propinas").


E, ainda e principalmente, 567 deputados e 81 senadores, com as respectivas CORJAS (ou assessoria, o que dá no mesmo).

A dúvida está no título:
esta é a LISTA DE DEPENDENTES DO IRPF ou a
LISTA DE VAGABUNDOS QUE SOU OBRIGADO A SUSTENTAR?

9 Comments:

Blogger LCMarques said...

Tem muita coisa que deveria ser invertida:
- Os políticos tem uma cota para envio de correspondências. Deveria ser grátis toda carta enviada a qualquer Orgão Governamental. Quem sabe as reclamações com os políticos fossem muito mais numerosas.
- O cúmulo é nos dirigirmos para doação de sangue, voluntária, e ter que pagar estacionamento (caro), mesmo o Orgão Público (HemoRio) tendo estacionamento. E ainda ter que retornar para pegar o resultado dos exames que outros Orgãos já enviam pelo correio, gratuitamente.

9:15 PM  
Blogger Star said...

Alexandre,

Voltei, eu não estava lendo os comentários e nem visitando os blogs para ficar longe do pc e minha tendinite me dar um descanso, mas já estou bem e de volta.

Bem lembrada a sua lista de vagabundos que temos de sustentar, infelizmente...

Beijo

11:33 PM  
Anonymous Alexandre de Sousa said...

Depois dessa abocanhada do Leão, o que sobre para ti?

2:35 AM  
Blogger Saramar said...

Alexandre meu querido, creio que os beneficiados com o bolsa-esmola e os companheiros invsores de terra também podem integrar essa famigerada lista.

beijos

4:24 PM  
Blogger Angelo da C.I.A. said...

Eu ia fazer um post mais ou menos assim: Quero privatizar a "minha parte" qeu é do Estado. Veja bem, o Estado divide comigo todos os meus rendimentos, o Estado é um sanguessuga de meu dinheiro e, mesmo assim:
- Pago plano de saúde privado;
- Vou pagar, quando chegar a hora, escola particular para minha filha;
- Quando uso transporte coletivo e o pago. Quando viajo para São Paulo, pago pedágio;
- Pago um vigia noturno que trabalha na minha rua;
- Pago seguro de meu carro para o caso dele ser roubado.

Chega desta sociedade nefasta. Quero privatizar a parte que o Estado me toma!!!

6:36 PM  
Blogger Kafé Roceiro said...

Muito bom, amigão. São todos um bando de sacanas mesmo. Sugam nosso sangue até a morte... Abraço procê, irmão. O próximo post de cinema é procê!

10:40 AM  
Blogger Suzy Tude said...

Alexandre, será que não é hora de iniciar com a desobediência civil????

1:41 PM  
Blogger Alexandre, The Great said...

Suzy.
Vc tem razão. E eu já comecei.

4:08 PM  
Blogger Hermano Leitao said...

Os Super Poderosos


A polêmica gerada em torno do aumento do Judiciário e do veto do Presidente Lula ao “jetom” de R$2.793,00 para os 14 integrantes do Conselho Nacional do Ministério Público demonstrou a desorientação do Executivo Federal na organização administrativa do País. De um lado, tem-se o aparelhamento do Estado com filiados e apadrinhados do Partido dos Trabalhadores e da “base aliada” sem qualificação técnica e munidos de Cartão de Pagamento do Governo Federal - cuja transparência é altamente duvidosa. E, do outro, tem-se o funcionalismo público de carreira sem apoio de plano de cargos e salários, a deixar o Brasil “travado”. Por essa estrutura, o mantra do governo tem sido a surpresa diante de crises desde a bancarrota recente do setor agrícola, a passar pelo gás boliviano, os “aloprados” e até o apagão aéreo. Se dá alguma coisa errada, Lula não sabia e confessa o desengano. Será que a realidade não seria suficiente para entender a agonia estrutural, corrupta e burocrática do país? Afinal, não houve espetáculo de crescimento, não foram gerados 10.000.0000 de empregos, não se reformou nada, a corrupção se alastrou, e as relações entre Executivo e Legislativo se mostraram nefastas. Juizes, operários, aposentados, classe média, preparem-se, agora vem aí o homem super poderoso que vai matar no peito, driblar os onze e lascar o Gol.

O Judiciário

Não há nada de inconstitucional no aumento pleiteado pelo Judiciário, que reivindica tão somente a reposição inflacionária desde o último reajuste. Outra coisa é a ineficiência do Judiciário pelos quatro cantos do país e o conseqüente desprestígio de Juízes e do sistema judicial brasileiro - ainda vistos como a Justiça que pune apenas pobres, que é morosa, e que contribui para a sensação de impunidade, principalmente de políticos, como se esse Poder fizesse parte de uma “concertation” para proteção dos poderosos. Aspectos esses utilitários para a dialética petista de sofismar e angariar apoio popular no corte de gastos onde o próprio Governo é o principal causador de entrave para uma prestação jurisdicional satisfatória. A Corte Suprema brasileira detém o recorde mundial de processos por Ministro. 65% dos procedimentos no Supremo se referem a causas que envolvem a União. Ademais, qualquer advogado bem sucedido aufere em média R$30.000,00 (trinta mil reais) por mês. O teto salarial de um Ministro do Supremo na faixa de R$26.000,00 (vinte e seis mil reais) é simplesmente estóico.

Salário Mínimo

Na luta estradiota entre as Centrais Sindicais e o Congresso Nacional para definir o valor do salário mínimo, de R$350,00 para R$420,00 ou para R$520,00, é claro que o Presidente Lula vai aplicar mais um estorcegão nos trabalhadores a base de estragão ou chavicol. A culpa vai ser dos aposentados. Sem se comprometer a implementar a necessária reforma previdenciária, que passaria por uma reformulação no sistema de controle dos benefícios – as fraudes contra o INSS no país chegam a R$200.000.000,00 (duzentos milhões) por ano -, o Governo tergiversará com a “justificativa” do efeito cascata de eventual aumento. Não se toca que, na operação “Castelhana”, a Polícia Federal prendeu o Juvenil Alves (PT-MG), eleito no último sufrágio, por fraudar os cofres públicos em R$1.500.0000.0000,00 (hum bilhão e quinhentos milhões de reais). Portanto, não se trata de falta de recursos, mas, sim, de falta de administração, de controle e de reformas sérias: previdenciária e tributária.

Rotas de Colisão

Desde a colisão do jato Legacy com o avião da Gol, o Executivo Federal descobriu-se atônito. Há um clima de me dá o que é meu e me devolve o que é teu, para se estabelecer mais um projeto de incompetência no poder, como se fosse mera causalidade. O PT e o PMDB, o PTB e Roberto Jefferson, a fritura de ministros (Márcio Thomaz Bastos, Marina Silva, Waldir Pires, Fernando Haddad, etc), o Judiciário e o Executivo, dentre outras duplas, são fichinhas diante da virtual espanação que o PMDB fará por meio do seu eclético jeito de se fincar na máquina federal, ou seja, apóia, mas não apóia, é governo, mas não é governo, e todos os cargos são seus, amém Sarney. Em resumo, a crônica de outro fracasso administrativo para o país se anuncia lamentavelmente, porque o discurso falacioso petista se sobrepõe à realidade da falência da estrutura administrativa do Estado brasileiro. Mas é bom lembrar que lua de mel de segundo mandato termina muito rápido. É um dejà vue esquizofrênico.

8:24 PM  

Postar um comentário

Links para este post:

Criar um link

<< Home